quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

VI CONCURSO DE PRESÉPIOS - O CARTAZ

.
.
.

TRAVESSURAS DE NATAL

.
.
Duas das turmas da escola - as outras duas vão para a semana - deslocaram-se ontem, num itinerário de recompensa certa, à Biblioteca Municipal Eugénio de Andrade. 
As anfitriãs, como sempre, primaram em receber bem, plenas duma simpatia muito própria, como se aqueles sorrisos fizessem parte do seu respirar. No bornal tinham, bem aprimorada, a obra "Travessuras de Natal", de Luísa Neves, e o encantamento aconteceu como se fosse a primeira vez.
Gente linda e talentosa, estas meninas da Biblioteca!
.
.

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

CÁ EM CASA

.
.
.
Cá em casa somos 3 meninas pequeninas, 1 mulher e 1 homem. O homem trata do jantar, a mulher das meninas e as meninas brincam.
Cá em casa somos 5 estômagos. O de uma menina pequena quase vazio e os outros sempre cheios.
Cá em casa somos 10 bochechas, todas vermelhinhas e gordinhas prontas para receber comida.
Cá em casa somos 60 dedinhos e 40 dedões. Os das meninas pequenas prontos para mexer em tudo quanto é sítio e os dos adultos, homem e mulher, prontos para trabalhar.
Cá em casa somos 851 999 fios de cabelo. Alguns fininhos, outros grossos e uns pretos e outros castanho claros.
Cá em casa somos 20 nomes. Todos os das meninas começadas em Maria.
Cá em casa somos 5 pessoas sempre prontas a trabalhar, a brincar e a divertir-se.
.
Texto e ilustração: Maria Rita - 3.º ano, baseado no texto "Cá em casa somos", de Isabel Minhós Martins
.
.

BARRETE SOLIDÁRIO

.
.
A APPACDM está a levar a cabo, nesta quadra natalícia, uma campanha com a designação "Barrete Solidário", colocando à venda barretes prateados ao módico preço de 2 euros.
Se alguém estiver interessado, poderá contactar a nossa escola que nós providenciamos a entrega. Poderá, desta forma, auxiliar uma instituição que bem o merece.
.
.

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

SÍMBOLOS DO NATAL - A ÁRVORE

.
Árvore numa das salas da nossa escola
.
.
Há uma estrela refulgente, sinal primeiro,
há luzes que nos envolvem, gesto fagueiro,
há homens a procurar, patamar cimeiro,
há mensagens a voar, de corpo inteiro.
.
.

SÍMBOLOS DO NATAL - O PRESÉPIO

.
Presépio numa das nossas salas
.
Nasceu pobre, assim ditava a humildade.
Nasceu rico, fruto da santidade.
Pelo mais, pelo menos, ou por tudo com que nos tomem,
quis diluir, num só átomo, a essência do homem.
.
.

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

CONSERVA DE AZEITONAS - MUDANÇA DE ÁGUA

.
Antes da mudança da água
.
Depois da mudança da água
.
Já lá vão alguns dias depois de iniciado o processo da conserva de azeitonas. Agora é chegado o trabalho mais moroso e paciente, com a mudança de água de dois em dois ou de três em três dias.
Hoje, quando a Teresa e a Cecília, após irem buscar água de nascente, se ocupavam da azáfama,  substituindo a água e repondo a dose de orégãos, surgiu a máquina fotográfica e captou o momento.
Para o Natal, esperamos nós,  talvez já haja azeitonas prontas a comer.
.
.

COMEÇAM A CHEGAR OS PRESÉPIOS

.
.
Aproxima-se o prazo de entrega para os participantes no VI Concurso de Presépios e, como nestas coisas há sempre quem não goste de ficar para a última, alguns já começaram a chegar à escola.
São lindos, como sempre, a fazer despertar em nós toda a magia e encantamento da época. A exposição promete!
.
.

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

CONSERVA DE AZEITONAS - O FILME

.

CONSERVA DE AZEITONAS: O ESFORÇO EM BUSCA DA RECOMPENSA

.
.
A vida é uma senhora de múltiplas vestes, plena de subtilezas, que adora desafiar, a toda a hora, as efémeras certezas com que povoamos o nosso dia-a-dia. E somos de tal forma convencidos que, de situação em situação, teimamos em afirmar a nossa convicção. A vida que, ao contrário de nós, tem todo o tempo do mundo, ri-se da nossa falta de humildade, do tudo querer num só dia, como se as coisas pudessem acontecer com um simples clicar de dedo.
Por aqui, escola que teima em remar da melhor forma, apesar da originalidade de levarmos dois edifícios a tiracolo, tentamos implementar práticas em que o conhecimento das coisas aconteça com naturalidade, com relatórios q.b., respeitando o grau de maturidade das crianças, de há muito relatado nos melhores compêndios. Com toda a naturalidade. E os alunos, ano após ano, vão tentando preencher o grande puzzle do conhecimento, peça atrás de peça, sem pressões, conciliando as exigências curriculares pré-estabelecidas com um olhar, forjado na prática, sobre aquilo que as rodeia. 
Hoje, dando seguimento ao processo da conserva de azeitonas, as quatro turmas, em momentos alternados, passaram pela experiência de retalhar e temperar. A seguir - foi-lhes explicado -  vem o processo moroso da mudança de água, que tem os seus quês, e só então, diluída a acidez num conveniente espaço temporal, as azeitonas estarão prontas para comer.
Hoje, dia friorento, numa atividade prática que procura dar forma e conteúdo à teoria, sem grandes sobressaltos, as azeitonas prosseguiram a sua sina, só culminada quando os alunos, ávidos de experiências novas, comprovarem, através do gosto, o resultado de toda esta azáfama.
.
.
Nota - É de toda a justiça enaltecer o papel da Teresa, nossa assistente operacional, que suportou a maior parte do ónus da questão. E se estava frio!
.
.